Empresa lança na Expointer medicamento que aumenta a fertilidade dos animais

em 03/09/2014

Biogénesis Bagó lança na Expointer medicamento que aumenta a fertilidade dos animais submetidos a protocolos de IATF

Novo produto corrige deficiências fisiológicas de animais sem manifestação de cio (anestro) e com baixa condição corporal e é essencial para protocolos de IATF em vacas de corte



A empresa de saúde animal Biogénesis Bagó lança no mercado brasileiro durante a Expointer, que se realiza de 30 de agosto a 7 de setembro, em Esteio (RS), o EcEgon®, medicamento que corrige deficiências fisiológicas de animais em anestro (sem sinais de manifestação de cio) e com baixa condição corporal. O novo produto aumenta a fertilidade dos animais submetidos a protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), garantindo resultados mais precisos.

O EcEgon® é produzido à base de uma complexa glicoproteína obtida do soro de éguas prenhes conhecida como eCG (Gonadotrofina Coriônica Equina ou PMSG). Ao ser purificada, essa glicoproteína permite obter um estímulo de ação prolongada nos animais, com potência e alta qualidade, garantindo resultados uniformes na IATF.

"O EcEgon®, quando administrado em protocolos de IATF, produz um estímulo de ação prolongada no momento certo, visto que corrige deficiências de LH principalmente nos folículos pré-ovulatórios de animais em anestro ou com baixa condição corporal. Este estímulo de LH está ligado a um aumento na fertilidade desses animais, seja por aumentar a taxa de ovulação dos folículos ou por minimizar os efeitos letárgicos que resultam na mortalidade precoce dos embriões. Isso se traduz em mais prenhez na IATF", explica o médico veterinário, Lucas Souto, Gerente de Serviços Técnicos da Biogénesis Bagó.

O lançamento do EcEgon® no Brasil complementa a linha reprodutiva da Biogénesis Bagó, recomendada para os atuais protocolos de IATF. Segundo estimativas baseadas na quantidade de venda de hormônios reprodutivos e na quantidade de sêmen bovino comercializados segundo a Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), em 2014, cerca de 9 milhões de cabeças de bovinos deverão ser inseminadas via IATF, o que representa aproximadamente 12% do rebanho de fêmeas existentes no Brasil

 Mesmo crescendo em ritmo acelerado no Brasil, existem vários desafios para os protocolos de IATF, pois perdas gestacionais e por mortalidade de bezerro são muito altas, impactando no sucesso da atividade. "Os indicadores produtivos no Brasil ainda são baixos. A taxa de prenhez média é de 63%, índice considerado baixo e o uso da IATF pode corrigir parte disto. A taxa de natalidade é de 58%, demonstrando que as perdas gestacionais entre a prenhez e o nascimento são de aproximadamente 5%. Dos bezerros que nascem, cerca de 8% morrem até a desmama, ou seja, a cada 100 vacas aptas à reprodução somente 50 bezerros são produzidos. É preciso, além de obter altos índices de prenhez, reduzir essas perdas gestacionais e mortalidade de bezerros até a desmama e avançar na eficiência reprodutiva", afirma Souto.

"Com o EcEgon®, o mercado passa a contar com mais uma ferramenta disponível visando melhorar nossos índices reprodutivos, que assim como as vacinas reprodutivas e orientações técnicas nos permitem falar em reprodução com saúde. Reprodução com saúde é pensar na efetividade do sistema de cria que visa desmamar a maior quantidade de bezerros de qualidade por vaca por ano. Para isso devemos, além de emprenhar mais vacas, minimizar as perdas gestacionais existentes, programar o melhor momento para as parições, assim como garantir que os bezerros nascidos morram menos até a desmama", complementa Souto.

 

Comemoração do Dia do Veterinário

Para comemorar o Dia do Veterinário (9 de setembro), a Biogénesis Bagó e o Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS promoveram ontem (2 de setembro), às 19h um coquetel no estande da empresa na Expointer.

 


Outras Novidades

Enviando formulário…

O servidor encontrou um erro.

Formulário recebido.

2018 - Revista Vaqueirama - Todos os direitos reservados